Poeta André Vasconcelos

Poeta André Vasconcelos
Mensageiro Natural de coisas Naturais

quarta-feira, 6 de abril de 2011

Anatomia da Dor

Anatomia da Dor


As mãos não acenam mais.

O coração ainda pulsa.

Calafrios a muito não sentia.


Na alma o medo

No medo a proposta.

A dor da alma que chora.


Os meus braços já não te acalantam

Os meus olhos já não brilham

Por sua falta meu corpo se esconde, fica de canto.


Não procuro por você.

Tente me entender.

Foram tantas idas

E você nunca a perceber.


Que meu coração palpitava.

Pressentia a sua chegada

Você chagava e não me olhava.


Minhas pernas bambeavam

As mãos transpiravam.

As falas desnorteavam


Os olhos retratavam

A voz de tanto gritar se calou.

Aquele sentimento tão bonito

E agora nem sei quem sou


Seria muito fácil transpassar.

Essa dor que insiste em maltratar.

Vem magoa quando passa sem me olhar


Resumo dessa anatomia sangrando.

“Sorrir quando tudo em nós esta chorando.”


Não se sente amor quando somente um está implorando.

Isso é se humilhar e no amor o sentimento é mutuo.

5 comentários:

vato disse...

loko ei maloka....Sorrir quando tudo em nós esta chorando.”
Fod@#$$

Daniela Mara disse...

Vatinho essa frase é marcante hein: “Sorrir quando tudo em nós esta chorando.” caraca...quebrou tudo aqui...sentimento a flor da pele!

Carol R. disse...

ah... Ficou um poema suuper profundo, como sempre :)

pri_versao_feminina disse...

André vc é f. , representa sempre, é um poema mais loko q o outro!!Sou sua Fã!!!Bjss

krlinhosKin disse...

Mano, já tinha lido essa rs
Cá prá nós.....tocou lá no coração, muito bom!!!!