Poeta André Vasconcelos

Poeta André Vasconcelos
Mensageiro Natural de coisas Naturais

terça-feira, 23 de abril de 2013

Eles Vão em Vão.



        Eles Vão em Vão.

Vão dizer o que, se eu sinto.
Vão pensar o que, se eu faço.
Vão imaginar o embalo.
Eles vão preferi, ficar calado.

Não tem nada de engraçado.
No farol pedem um trocado.
Nas favelas clemência.
Nas calçadas do centro, dormência.

Vão dizer o que, se eu falo.
Vão pensar o que, se eu digo.
Vão correr porque, é só mais um descaso.
Na realidade só de ver, eles ficam embaraçados.

Oh meu Deus do céu.
Por aqui ninguém faz nada.
Vem governo sai governo.
Patifaria se arrasta.

Vem prefeito e sai prefeito.
Tudo na mais perfeita harmonia.
Eles dizem que é difícil concertar.
E deixa a conta pra Deus pagar...
Isso a alma perfura.
E ao fim do mandato.
Dizem que do povo Deus cuida.

A culpa é minha e sua.
Se ao fim do mês sua conta fina Nua.
Se Ganha pouco, Muito a se pagar.
Então vamos acordar...

Aqui ninguém insinua.
É terra de ninguém.
Ninguém quer se olhar...
É Dente por Dente...
Sendo assim.


"Banguelas vão ficar"



 

Autor – André Vasconcelos

5 comentários:

Ni Brisant disse...

A maldade pode criar laços mais duradouros que o próprio amor, poeta.

PREGADORES DO GUETO disse...

Loka e consciente a idéia, parabéns. ..

PREGADORES DO GUETO disse...

Loka e consciente a idéia, parabéns. ..

@Jeffionne disse...

Sé loko, muito show Andrézão... Parabéns! Dahora meeeeeesmo!

Karla disse...

Continuemos com esperança!