Poeta André Vasconcelos

Poeta André Vasconcelos
Mensageiro Natural de coisas Naturais

terça-feira, 11 de setembro de 2012

Oração




                        Oração

Oh deus o que faço por aqui.
Tem gente matando gente.
Sem saber pra onde ir.

Oh deus...
Eles não se entendem.
Só querem usurpar.
Destrói a tudo.
E depois eu que sou o confuso.

Oh deus.
O dinheiro é soberano.
Para lavagem de dinheiro.
Tem gente passando um pano.

Ah deus.
O que eles querem com isso.
Foda-se o próximo.
O importante é o que tenho vivido.

Ah deus.
Eles andam perdidos.
E por minha vez.
Sinto-me sem sentido.
Um alienígena.
Fora de seu habitar
Um indígena sem cocar.

Adeus.
Por aqui eu me despeço.
Esse cotidiano indigesto.
Esse dia-a-dia. Infecto.

Adeus...
To de partida.
Não me venha com aquelas noticias.
Que um pai matou toda sua família.

Adeus...
Pra maioria barriga grande é lombriga.
Os pobres comem água com farinha.
É Deus nos gueto...
De chinelo e bermudão.
Um só...
Vigiando a multidão.
Nesse eterno preconceito.

Adeus, adeus.
Ah Deus, que o ser humano encontrem um jeito.
Entre a Sobrevivência e o desespero.

Autor – André Vasconcelos

Um comentário:

Germano Gonçalves disse...

Oração forte cara, temos que colocar as coisas boas entre estes fatos ruins, essa oração pega, e também bem escrito,valeu!