Poeta André Vasconcelos

Poeta André Vasconcelos
Mensageiro Natural de coisas Naturais

segunda-feira, 9 de maio de 2011

Temos Direito


Temos Direito


Eu queria sorrir e sempre me impediam.

Nas ruas preconceitos aconteciam.

Eu senti de todas as formas e lugares.


A cada sonho uma desilusão pra concretizar.

Se fosse de ônibus era para assaltar.

Se estivesse de carro o delito estava a se consumar.


E se andasse só na rua, outros meliantes, eles ficavam a procurar.

Nunca tive a paz que tanto procurei.

Sempre fui assim e nunca mesmo rejeitei.


Porem ninguém perguntava se um dia eu sonhei.

Na saída da escola era briga todo dia,mas relutei.

Sempre falavam de mim, pois o silencio sempre foi meu amigo.


Em multidão nunca andei, sempre fui alvo dos “dentro da lei..”

Tomando um vinho na calçada era um foragido.

Se entrasse para casa, estava fugindo.


Se intacto ficava a eles me perguntavam, esta fingindo?

Mas no bairro quando era preciso de um deles.

Cadê? Ninguém achou...


Era um matando o outro, terra de ninguém...

E se é assim a lei, cada um por si, quem puder pode atirar...

Atire e não se preocupe com o que virá.


É terra de ninguém dos “Dentro da Lei”

O premio por uma chacina aqui é uma 12 e fama de rei.

Porem não quero eu nem saber dos “Dentro da Lei”


Eu sigo no silencio dos fora da lei.

Aqui não se pode é Vacilar tem que honrar a família, sem mentira,

Tem que lutar, você que acha que não sei...


Não vai pra grupo dos “Dentro da Lei”


André Luis

2 comentários:

Daniela Mara disse...

Nos sentimos impotentes nesse mundo, temos direitos + eles não são respeitados!

Marcão Baixada disse...

"Se entrasse para casa, estava fugindo."

Bela poesia, irmão!